História do Futebol Potiguar

Reza a história que o futebol chegou em terras potiguares pelos irmãos Fabricio e Fernando Pedroza, que estudavam em terras inglesas e trouxeram a primeira bola de futebol no ano de 1903. Os dois irmãos também foram os responsáveis pela criação do primeiro clube em 12 de Outubro de 1904 - o "Sport Club Natalense".

Naquela época, o futebol era praticado em terrenos descampados, em localidades onde hoje estão, por exemplo, as praças André de Albuquerque (Rua Grande) e Pedro Velho, ou no Polígono de Tiro Deodoro, no Tirol.

As regras oficiais do esporte não eram seguidas ao pé-da-letra, até por desconhecimento das mesmas, o que não impediu o surgimento de muitos clubes de vida efêmera, que disputavam partidas amadoras entre si.

Entre eles destaca-se o time do PRC (Partido Republicano Conservador), fundado em 1914 pelo neto do governador Ferreira Chaves, que fazia seus jogos no grande quintal da residência oficial.

O verdadeiro conhecimento das regras e a sua aplicação no território potiguar, só aconteceria mais tarde, segundo Luiz G. M. Bezerra, com a chegada a Natal proveniente da Suiça, do estudante universitário Alberto Roselli, que tendo conhecido o "football" por lá, trouxe uma maior organização à prática deste esporte no nosso estado, tendo atuado inclusive como árbitro em várias partidas.

Este tipo de organização (regras do futebol) amadora duraria até 1915, quando foram fundados os primeiros clubes efetivamente organizados no estado: o ABC, o América e o Alecrim, todos na cidade de Natal.

João Fernandes Campos Café Filho
ex-goleiro do Alecrim F.C., foi o 18° Presidente da República.

Ligas e a federação

As primeiras tentativas de se fundar uma Liga de esportes, entre eles o futebol, no estado datam de 1916. Segundo o pesquisador Luiz G. M. Bezerra, seis clubes da capital (ABC, América, Centro Esportivo, Atheneu SC, Cricket Club, Sport Club de Natal e Centro Náutico Potengi) fundaram a Liga Norteriograndense de Desportos Terrestres e empossaram um presidente, Luiz Potiguar Fernandes, em 27 de fevereiro de 1916. Contudo, esta Liga não prosperou.

A Federação Norteriograndense de Futebol (FNF) foi fundada em 14 de julho de 1918, com o nome de Liga de Desportos Terrestres do Rio Grande do Norte - sucessora da Liga de Esportes Terrestres (fundada em 1916). O seu primeiro presidente foi o lider do movimento dos escoteiros no Rio Grande do Norte, Luiz Soares de Araujo.

A Federação já foi também chamada de Associação Riograndense de Atletismo, e também de Federação Norteriograndense de Desportos (FND). Os clubes fundadores foram o ABC, o América e o Centro Esportivo Natalense, de acordo com o estatuto da própria FNF.

Em 1919, disputou-se o primeiro campeonato estadual oficial.

Devido ao seu amadorismo, a Liga e os clubes existentes não registravam os acontecimentos, o que tornava difícil o registro histórico e a certeza sobre a realização de alguns campeonatos e a homologação de alguns títulos.

De acordo com o pesquisador Everaldo Lopes, ao longo de sua existência, a FNF já teve quatro endereços. O primeiro, numa pequena casa situada nos fundos do terreno do estádio Juvenal Lamartine. Depois, mudou-se para o centro da cidade, num casarão que servia de sede da Cruz Vermelha, ao lado do antigo cinema Rex.

O terceiro endereço ficava no terceiro andar do edifício Melilo, em frente ao mesmo cinema Rex. Posteriormente, a federação voltou ao estádio Juvenal Lamartine, onde permaneceu até sua a mudança para o atual endereço, na Rua Marcílio Furtado, 2017, Lagoa Nova. O nome atual, Federação Norte-Riograndense de Futebol, foi assumido em 1976.

Ao longo de sua história, muitos dos presidentes da Federação foram oficiais militares.

ANOS 40

Nesta década ocorre a primeira transmissão radiofônica de uma partida de futebol na cidade de Natal, que aconteceu em 21/11/1941, durante a partida ABC 2 x Santa Cruz 2. O jogo foi transmitido pela então Rádio Educadora de Natal (REN), hoje Rádio Poti. O narrador foi Manoel Fernandes de Oliveira, também conhecido com Leléo. Alguns meses depois, as transmissões vieram a se tornar constantes (Tribuna do Norte, 18 de setembro de 2005).

Esta década de 1940 marca o início das discussões sobre o profissionalismo no futebol do estado, finalmente implantado em 1950.

Mas nem sempre os tempos foram tranqüilos, durante sua existência, a FNF, sofreu quatro intervenções. A década de quarenta foi particularmente turbulenta, com três intervenções (1941, 1944, 1949), porém seguiu-se um período de 56 anos de tranquilidade, até que em 2005, uma nova intervenção foi determinada pela justiça. Após período estipulado pela justiça, o interventor Paulo Eduardo Pinheiro convocou novas eleições e, o jornalista Alexandre Cavalcanti, a época exercendo o mandato de deputado estadual, foi eleito presidente da entidade.

Um campeonato que não terminou

Entre 1919 e 2013, o campeonato estadual do RN só não foi disputado em 1942, devido ao medo que tomou conta da cidade com relação à Segunda Guerra Mundial, e por precaução do então presidente da Federação, capitão Porphirio da Paz, que decidiu suspender o campeonato daquele ano.

A competição começou a ser disputada e chegou a ter algumas interrupções durante aquele ano, inclusive por motivo de chuvas fortes que caíam sobre Natal, e só foi dado finalmente como suspenso no ano seguinte.

Explica-se: sendo Natal considerada uma cidade estratégica, distando apenas 20 km da importante base aérea de Parnamirim, onde à época faziam escala os bombardeiros norte-americanos que rumavam para o teatro de operações do Norte da África, e com o advento dos primeiros torpedeamentos de navios mercantes brasileiros por submarinos alemães, o receio de um ataque nazista à cidade ficou patente na população, influenciando até mesmo na sequência do estadual de futebol daquele ano.

Neste ano também, a Federação Norteriograndense de Desportos estava sob intervenção da CBD, uma vez que a FND tolerava a existência de clubes chamados de "filiais" que facilitavam conquistas de suas "matrizes". Nesta intervenção, o Paysandu, um clube "filial" do ABC, foi definitivamente suspenso do campeonato estadual.

Clubes extintos

Ao longo de todos estes anos, muitos clubes já extintos fizeram parte da história do estadual potiguar, como por exemplo: Centro Natalense, Ipiranga, Paysandu, Sport Club Natal, Santa Cruz, Tuiuti, Natal Futebol Clube, Força e Luz, Baixa Verde, Baependi, Juventus, Riachuelo, União, Asas, Grêmio, Globo, Ferroviário, Racing, Atlético de Natal, Cosern e Monte Castelo.

Controvérsias

1920 - O titulo deste ano não foi homologado pela Liga de Desportos Terrestres???

1921 - A final do campeonato terminou em 2x2 e não há registros oficiais de que houve um outro jogo decisivo.

1943 - O título deste ano é reinvidicado pelo América, no entanto, o Santa Cruz Esporte e Cultura ganhou os dois turnos do campeonato e foi campeão direto. Este campeonato teve um total de 30 jogos disputados, dos quais 14 foram decididos no tapetão.

Recordista de títulos

O ABC Futebol Clube é o clube com o maior número de titulos estaduais no Brasi (52 no total) - o clube é também o recordista brasileiro de conquistas consecutivas, ao lado do América Mineiro, com 10 titulos.

Fonte: www.campeoesdofutebol.com.br (Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva).

       
                 
                 
        Fotos Históricas        
                 
       

foto: A Tribuna do Norte

América em 1933, com a curiosidade do cidadão de terno branco, como o diretor de futebol do clube.

América Tricampeão 1979/1980/1981.

Time do ABC na inauguração do estádio Castelão 1970.

Alecrim - Bicampeão Potiguar 1985/1986

Equipe do Baraúnas - 1970.

Assú Campeão Potiguar - 2009

Potiguar - Campeão Estadual 2004.

       
                 
                 
                 

 


                           

Volta à página inicial.